Clube

Estudo sobre o Teletrabalho

Confira as principais conclusões retiradas do estudo da Microsoft
#Fiquealerta #Estamosjuntos

O seu Clube vem partilhar consigo um estudo sobre o Teletrabalho realizado pela Microsoft nos últimos meses, que mostra como a situação que vivemos globalmente está a alterar o conceito de trabalho.

As principais conclusões a retirar deste estudo, sobre as tendências do trabalho remoto, são as seguintes:

Relação entre as videochamadas e a fadiga laboral

Um ponto comum relacionado com o trabalho remoto é que este pode ser mais desafiador do que o trabalho presencial.

Alteração da cultura do local de trabalho

A pandemia promete ter alterado a cultura do local de trabalho como a conhecemos para sempre, sendo as Gerações Z e Millenium as mais afetadas com esta nova realidade.

O futuro do trabalho das 9h00 às 17h00

Os comportamentos têm vindo a sofrer alterações, como verificado em horários mais alargados (por exemplo, as conversas entre equipas no sábado e no domingo aumentaram mais de 200%).

Os escritórios físicos não vão desaparecer

Não voltaremos ao ponto em que nos encontrávamos, essa é a grande certeza do estudo. O trabalho no futuro será um misto entre o trabalho remoto e o presencial.


Enquanto que muitos se adaptaram rapidamente a trabalhar a partir de casa, outros perguntam agora se no futuro os escritórios físicos vão desaparecer? Este estudo mostra que 71% dos colaboradores e gestores inquiridos pretendem continuar a trabalhar a partir de casa, pelo menos uma parte do tempo.

Mas verifica-se outras questões relevantes na questão do trabalho remoto que pode querer afastar alguns de continuar a trabalhar desta forma, como por exemplo questões de conectividade e falta de um escritório adaptado e ergonómico na própria casa. O futuro do trabalho não será como anteriormente, mas o local de trabalho físico provavelmente será uma parte importante do futuro do trabalho, uma vez que traz benefícios como a conectividade, espaços ergonómicos e oportunidades para socialização e união da equipa.

Nota: O Clube não tem qualquer interesse direto ou indireto nas marcas e/ou empresas e/ou entidades indicadas.

Fonte: "RHGestão" – julho 2020.

Publicado em 24/07/2020