Clube

Vencer o Coronavírus com a Mente

Partilhamos algumas dicas para ultrapassarmos esta situação da melhor forma possível
#Fiquealerta #Estamosjuntos

Numa situação pandémica como a que vivemos, as decisões que tomamos tornam-se ainda mais importantes. Hoje partilhamos algumas dicas para que as opções que fazemos, possam contribuir para ultrapassarmos esta situação da melhor forma possível.

Como decidir qual é a melhor atitude?

Dar mais importância aos nossos pensamentos e aos alertas que o nosso corpo nos transmite é o primeiro passo! Os nossos pensamentos e as nossas atitudes afetam a nossa vida.

Como esses pensamentos têm efeito no nosso corpo?

Numa situação pandémica como a atual, a maior ameaça que temos é o medo. O stress, que advém desse medo e das mudanças a que ficámos obrigados, faz-nos sentir mal porque nos tira da nossa "zona de conforto". Quando sentimos stress, o nosso cérebro liberta uma substância a que chamamos cortisol, que é tóxico, e que nos tolda o pensamento. Pelo contrário, quando nos sentimos bem, o cérebro liberta substâncias como a endorfina, serotonina, dopamina e a oxitocina. E esta libertação apenas depende das atitudes e pensamentos que tenhamos. Por isso é tão importante tratarmos do nosso corpo e mente em momentos críticos como o que estamos a passar e libertar-nos de informação tóxica que só nos vai envenenar.

Mas não devo estar informado sobre o que se passa?

Claro que sim. Devemos estar bem informados.

Para ajudar, deixamos aqui alguns conselhos sobre o que se pode fazer para combater o medo e conseguir um estado de ânimo melhor:

1 - Ser seletivo com as fontes de informação: Associações Médicas, Organizações de Saúde, Médico amigo e de confiança e colocar uma barreira para toda a restante informação que não traz nenhum valor acrescentado, antes pelo contrário;

2 - Fazer tudo o que contribui para se sentir bem, o que se chama, os essenciais:  Comer bem, Dormir bem, Exercitar-se e Meditar. Se comermos muito ou mal, vamos com certeza sentirmo-nos cheios ou com azia, o que irá prejudicar o nosso sono e por consequência o dia seguinte, uma vez que não descansámos e não conseguimos repor as energias suficientes. Como facilmente se percebe, trata-se de um círculo que pode romper com muita facilidade;

3 - Falar de coisas que nos tragam bons pensamentos, que nos deixem bem-dispostos: "Alimente" de "positividade" a sua mente. Evite rodear-se de informação tóxica ou até de pessoas desagradáveis;

4 - Devemos tomar atitudes que nos façam sentir bem, agora e no futuro: É preciso criar bons hábitos, com atitude. Para além do já mencionado, há que perceber o que realmente nos faz bem, como caminhar, ioga, estar com quem se gosta, fazer exercício, ter hobbies, entre tantos outros. Umas pessoas precisam mais de ação, outras de maior tranquilidade.

O importante é conseguir que o cérebro liberte as substâncias boas, como:

Endorfina - Quando fazemos algo benéfico, como fazer exercício;
Dopamina - Quando se consegue resolver as situações;
Oxitocina - Ligada aos afetos;
Serotonina - Ligada ao reconhecimento.

Conclusão: A nossa mente é mais poderosa do que pensamos e um enfoque positivo é mais saudável, de acordo com factos científicos.

Fonte: "Bruce Lipton on Coronavirus Pandemic & Evolution/Loretta Graziano Breuning "Habits of a happy brain"/Optimize me by Brian Johnson - julho 2020".

Publicado em 24/08/2020