Clube

Inventores Solidários

Partilhamos consigo 3 casos de sucesso, de entre os muitos que Portugal tem

“Eu Inventei...". A criatividade tem o poder de mudar vidas.

Em contextos adversos, como o que vivemos, descobrem-se invenções e inventores de que nos podemos orgulhar. Hoje vimos partilhar 3 casos, de entre os muitos que Portugal tem.

CAIXA SOLIDÁRIA

Começou com Nuno Botelho, que encheu uma caixa com produtos de 1.ª necessidade e colocou-a em frente à sua casa. Inseriu a informação no Facebook e alguém que conhecia a situação deu-lhe um destaque maior, resultando numa cadeia de transmissão que gerou uma rede de contatos à qual se juntou a Câmara Municipal de Cascais, que veio a espalhar mais de 70 caixas pelo concelho.

A seguir também o Pingo Doce se associou à ideia com 9 supermercados em todo o país. Segundo o "inventor", há muita gente sem emprego e a precisar deste tipo de apoio. É preciso ajudar quem precisa!

EKUI - Por um mundo sem barreiras na aprendizagem e na comunicação

O EKUI é um jogo de cartas especial: as letras significam Equity (equidade), Knowledge (conhecimento), Universality (universalidade) e Inclusion (inclusão), e facilitam a aprendizagem de pessoas com dificuldades várias. A professora Celmira Macedo, quando trabalhou com crianças autistas, começou a pesquisar os problemas da aprendizagem e comunicação.

As escolas continuam a ser um "pronto-a-vestir" de tamanho único, quando, na realidade, todas as crianças são diferentes, aprendendo de maneiras distintas. Por isso, criou um conjunto de cartas em que à grafia das letras do alfabeto se juntam pistas visuais: o alfabeto da língua gestual, o alfabeto Braille e pistas fonéticas para ilustrar os sons. Portanto, cada carta tem 4 formas de ler uma letra e cada criança vai aprender da forma que lhe for mais fácil.

FEEDBOT - O braço robótico que ajuda a alimentar pessoas com problemas de mobilidade

O Feedbot é um "braço amigo" que ajuda as pessoas com dificuldades a alimentarem-se sozinhas. A ideia surgiu a Manuel Marques, doutorado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores na área de visão computacional, porque não conseguia comer sozinho, uma vez que tem paralisia cerebral. O "braço" analisa o ambiente que o rodeia, localiza a cabeça do utilizador e coloca os alimentos de forma a que qualquer pessoa se possa alimentar de forma segura.

Trata-se, portanto, de um "braço-robot" que é capaz de perceber se a pessoa quer falar ou comer. Esta dificuldade geralmente não é entendida pelas pessoas que não necessitam, mas para quem toda a vida sentiu estas limitações, percebe bem a ajuda deste "braço". Espera-se que este Feedbot seja rapidamente comercializado, pois vai ajudar muitas pessoas com paralisia cerebral, Parkinson, AVC ou outras doenças neurológicas.

Nota: O Clube não tem qualquer interesse direto ou indireto nas marcas e/ou empresas e/ou entidades indicadas.

Fonte: Activa - novembro - 2020.

Publicado em 16/11/2020