Desporto

6.ª Maratona BTT "Serras de Grândola"

18 Associados participaram na prova de Grândola, com destaque para o pódio de Américo Ferreira!

Relato de Carlos Batista

Dia 8 de março, esta foi a minha primeira prova de BTT de 2020 já depois de ter realizado no início do ano a minha aventura de BTT desde Portimão até Odivelas, sendo que depois disso e fruto duma laringite que não me largou durante 3 semanas e posteriormente as férias do Carnaval fizeram com que não tivesse quase andado nada. Portanto foi com uma "péssima forma física" que me apresentei na 6.ª Maratona de BTT "Serras de Grândola", uma novidade no calendário da nossa Secção de Ciclismo do Clube Millennium bcp!

Assim, lá rumámos, eu e mais 17 colegas, até à vila de Grândola, aquela que Zeca Afonso imortalizou na sua canção que serviu de senha para a revolução do 25 de Abril. Chegados a Grândola, depressa nos apercebemos o quanto esta vila potenciou a figura de Zeca Afonso e da sua canção. E foi precisamente junto ao complexo desportivo Zeca Afonso que estava marcado o encontro e montado todo o aparato deste evento desportivo que reuniu cerca de 240 bttistas, número que ficou aquém das expectativas da organização.

Depois de levantarmos os nossos dorsais, termos feito as fotos da praxe e, inclusive, aproveitado para rever o colega Pedro Custódia, que já não via há quase 20 anos, lá me dirigi para a "box" de partida dos 40 km que saía 10 minutos depois dos concorrentes dos 70 km. Assim, pelas 9h10, lá saímos em direção à Serra de Grândola.

Tendo saído mesmo lá do fundo, fui pedalando de forma mais intensa para não me atrasar muito, no entanto cedo percebi que a forma não estava lá e comecei a ter alguma dificuldade em encontrar o meu ritmo. Tentei ir atrás dum amigo que tinha vindo comigo a esta prova, mas era um erro, pois o andamento dele era muito mais forte e de comum acordo decidi deixá-lo ir e encontrar alguém que fosse mais ao meu ritmo. E assim fui na roda do Luís Carvalho, que embora mais bem preparado que eu, estava com alguns problemas de fadiga muscular o que me permitia acompanhá-lo. Rolámos cerca de 16 km juntos, até que me atrasei ao parar para tentar ajudar um concorrente que estava com uma corrente partida. Assim e após vários minutos onde se tentou remediar o problema, vi chegar a mota que estava a fechar a prova... e acabei por ter que ir embora.

Cheguei ao primeiro abastecimento sozinho e assim continuei durante vários quilómetros. Ainda alcancei um outro companheiro que conhecia e com o qual acabei por fazer ainda alguns quilómetros juntos, mas depois, numa das últimas subidas, daquelas em que percebi realmente o quanto estava em baixo de forma, acabei por perdê-lo de vista! A partir dali rolei sozinho e só queria mesmo terminar o quanto antes, e foi com algum reconforto que alcancei o santuário da Capela de Nossa Senhora da Penha onde se avistava a vila de Grândola - já não havia mais subidas! Faltava pouco e era sempre a descer até à vila onde acabei por chegar por volta das 12h30 em último lugar!

A prova tem uns trilhos fantásticos e a organização esteve irrepreensível, tanto nas marcações como nos pontos de abastecimentos e com vários elementos presentes em vários sítios estratégicos da prova. Só não me diverti mais porque efetivamente precisava de ter estado em melhor forma física, mas mesmo assim apreciei imenso os trilhos que percorri. Desconhecia esta zona e fiquei agradavelmente surpreendido pelo que vi e fiquei com vontade de voltar para o ano e desta vez melhor preparado para assim desfrutar melhor destes fantásticos trilhos. Aliás, a opinião dos restantes colegas foi unânime e positiva quanto à espetacularidade dos trilhos percorridos.

Destaque ainda para o lugar no pódio para o nosso "sénior" Américo Ferreira, que se destacou na sua categoria e sobretudo na distância maior dos 70 km, assim como o fantástico 9.º lugar do Edgar Oliveira, igualmente nos 70 km, que só não deu direito a lugar no pódio porque a concorrência nesta distância era realmente muito forte.

Dali a duas semanas e sem sabermos iríamos todos ficar confinados em casa e sem sequer podermos sair à rua para dar umas voltas de BTT... a Covid-19 tinha chegado em força a Portugal e iria mudar tudo, resta saber até quando! Esperamos que isto tudo não passe de um pesadelo e que para o ano estejamos todos novamente em Grândola e que a organização não esmoreça para poder realizar a 7.ª edição da prova.

Videos: (1) (2)

Aceda aqui às classificações dos nossos atletas.

Publicado em 06/05/2020