Desporto

Miguel Talhão levou as cores do Clube ao alto da Senhora da Graça

Após 8 meses de interrupção devido à pandemia, voltaram finalmente as competições "amadoras" de ciclismo...

Relato de Miguel Talhão

No dia 11 de outubro fui até Mondim de Basto para participar numa das subidas mais míticas da Volta a Portugal, a etapa que este ano foi ganha por Amaro Antunes, vestindo aí a camisola amarela que mais não largou até Lisboa onde acabou por se sagrar vencedor da Volta a Portugal.

A Senhora da Graça tem um traçado em si muito simples, são basicamente 8 km a subir, numa subida constante e com inclinações não muito agressivas. Pessoalmente tinha definido como objetivo os 27 minutos; no final deu 28 minutos e 30 segundos, o que acabou por dar um 12.º lugar no escalão e um 27.º da geral, em 93 atletas, tendo ficado a 6 minutos do 1.º lugar.

Numa crono-escalada, além da potência na pedalada, também o factor peso é muito importante e 5 kg a menos teriam "dado jeito", mas no cômputo geral até posso considerar que correu bem. Fica o registo garmin.

Finalmente e como 8 km tinham "sabido a pouco", acabei por ir fazer um dos percursos para bicicleta de estrada na zona de Mondim onde se percorrem duas subidas épicas: a subida do Barreiro, também ultrapassada este ano na Volta a Portugal; e a subida de Alva, esta com inclinações com mais de 10%. Foram mais 100 km onde a descida final foi na estrada N304, eleita a melhor estrada para conduzir na Europa pela Ford.

Publicado em 13/10/2020