Desporto

"Rota da Água no Monsanto"

Caminhada realizada em Lisboa a 4 de março

Dado que a EPAL está a comemorar os 150 anos da sua criação, pedimos, e foi-nos concedida, autorização para fazermos esta caminhada, a partir de Campolide, atravessando o Vale de Alcântara, pelo cimo do Aqueduto.

Foi uma nova experiência, para quem não conhecia, chegar ao Parque de Monsanto através dum acesso não convencional. Ainda olhámos, com alguma atenção, à nossa volta, não fosse dar-se o caso de andar por ali algum Diogo Alves.

O Aqueduto está em obras de conservação mas ainda deu para espreitarmos as caleiras por onde corria a água até chegar à Mãe d´Água das Amoreiras. Chegado a Monsanto, o Aqueduto passa a subterrâneo e foi sobre ele que continuámos a caminhar. Aqui e ali há os respiradouros, que nos faziam lembrar que abaixo dos nossos pés havia um túnel por onde correu a água que matou a sede a Lisboa.

Este percurso, seguindo a linha do Aqueduto, levou-nos a chegar à Mata de São Domingos de Benfica. Dali o Aqueduto seguiu para a Buraca e nós para a Embaixada do México. Era o ponto de iniciarmos o retorno a Campolide, agora pela caminho das Seis Pedreiras.

Nas Seis Pedreiras estão a ser feitos melhoramentos nos trilhos e fomos experimentá-los. Mas a experiência não correu muito bem, porque estão ainda muito em bruto. Prosseguindo por caminhos de terra batida chegámos ao parque da Serafina. Era o momento propício a uns instantes de pausa.

Retomámos o caminho até junto ao Aqueduto. Descemos ao bairro da Liberdade e, dali, à estação do comboio em Campolide. Passámos sob o Aqueduto e subimos a encosta pelos degraus laterais ao dito, até chegarmos ao ponto de partida. E a prova que São Pedro é nosso amigo é que apenas choveu quando estávamos a terminar a caminhada.

No dia 4 de abril iremos fazer uma visita guiada à Galeria do Loreto. Temos de a fazer durante a semana porque ao fim de semana as visitas são quase exclusivas para o público em geral.

Mas caso tenham interesse na história do Aqueduto, e do fornecimento de água a Lisboa, estejam atentos às iniciativas que a EPAL vai organizar durante o ano corrente, no âmbito das comemorações dos 150 anos. Isto não invalida que possamos fazer mais alguma visita guiada. Por exemplo aos Barbadinhos e ao Aqueduto após as obras estarem concluídas.

O nosso obrigado à EPAL, na pessoa da Bárbara Bruno, pelo apoio que nos foi dispensado. E podem ver mais imagens da caminhada clicando aqui.

Publicado em 06/03/2018