Desporto

II Trail da Terrugem

Relato do Associado Rui Ramalho

A semana tinha mostrado que a chuva estava para ficar e as previsões davam uma trégua, mas apenas até ao meio dia. Tipo Cinderela! Por isso, com a prova a começar às 9h do dia 4 de março e com 25 km para se fazer em lama, tínhamos que dar à perna.

A armada do Millennium bcp estava bem composta e bem disposta. Foto de família, dois dedos de conversa e lá fomos nós. Ritmo vivo logo à partida mas fomos gerindo.

O Nuno Almeida e o Arlindo avançaram e eu, a Sofia e o Pedro Fontinha deixámo-nos ir no mesmo andamento. Começou a aparecer a lama e o cuidado teve que ser redobrado, depois vieram as poças de água e mais à frente a passagem de um rio curto, frio e com uma boa corrente.

A paisagem era simpática e a coisa estava a correr bem. A Sofia controlava a atleta que ia em primeiro lugar no que dizia respeito às femininas e eu aí acompanhando conforme conseguia. O Pedro ia perdendo alguma distância até que no meio da prova nos aparece um cãozinho pequenino ao qual a Sofia não resistiu a dar assistência; carregou-o durante uma parte desse troço até chegarmos à zona com casas onde o deixámos e avisámos as pessoas que ali estavam. O Pedro aproveitou para se tornar a colar a nós e passámos outro rio, este num percurso maior, com mais corrente, ainda mais frio e mais profundo que o primeiro. Perdemos de vista a atleta que a Sofia perseguia mas ganhámos ânimo com o resgate do "Creme", o cãozinho fofinho.

Numa zona mais plana, já perto dos 19 km, voltámos a colar à atleta da frente e um quilómetro depois decidimos que era hora de atacar o primeiro lugar feminino e lá fomos nós.

Ao contrário do que costuma acontecer, os 25 km prometidos acabaram por ficar pelos 23,5 km, com a Sofia a sagrar-se bicampeã geral feminina do Trail da Terrugem repetindo a proeza do ano anterior. Duas edições, dois primeiros lugares geral feminino. O Arlindo também subiu ao primeiro lugar do pódio e o Nuno Almeida ao segundo lugar, no seus escalões. Por isso, os três primeiros atletas do Clube Millennium bcp tiveram direito a pódio.

Consegue-se andar um pouco menos ou um pouco mais de três horas com alguma dureza de terreno e manter um belo sorriso de felicidade e isso é algo que não está ao alcance de todos. É um orgulho ver que temos nas nossas fileiras atletas de topo amador num intervalo (pelo menos neste caso) de idades que vão dos simples 21 anos aos mais de 60. Estamos motivados mas também estamos organizados e agradecidos por nos proporcionarem as condições para estes momentos acontecerem. Votos de boas corridas!

Publicado em 09/03/2018