Login
Nº Sócio
Pin
    
 

Fernando Feijão e Manuel Rodrigues sagram-se Campeões Ibéricos de Triatlo Longo


Leia os relatos dos nossos atletas!


Realizou-se no passado dia 17 de junho a IV edição do Triatlo de Média Distância de Salamanca. Este ano a prova contou com cerca de 380 atletas entre as duas distâncias em disputa, sendo 163 para a distância de Half Iron Man e os restantes para a distância olímpica.

Dos 163 atletas, que alinharam para a distância principal, apenas 141 conseguiram concluir a prova. Aos espanhóis que se apresentaram em maioria e representando as várias regiões do país vizinho, juntou-se também uma comitiva oriunda de Portugal, já que se tratava da disputa do Campeonato Ibérico.

O Clube Millennium bcp fez-se representar por 3 atletas: Fernando Feijão no escalão M60-64 e Manuel Rodrigues e Helder Baptista no escalão M-50-54, todos para a prova de maior distância.

Na classificação geral, em femininos, a vitória foi para a portuguesa Ana Filipa Santos, da equipa de Triatlo de Rio Maior. Já em masculinos, foi o espanhol Diego Paredes, da equipa de Triatlón Ecosport Alcobendas, que se impôs, sagrando-se Campeão Ibérico de Triatlo de Média Distância.

No duelo Portugal/Espanha, os atletas espanhóis totalizaram 20 medalhas, seis de ouro, oito de prata e seis de bronze, face às 8 dos portugueses, quatro de ouro e quatro de bronze. Para o medalheiro português, os atletas do Clube Millennium bcp contribuíram com duas medalhas de ouro.

A prova que supostamente deveria iniciar-se às 9 horas locais, teve o seu início com mais de 30 minutos de atraso, provocando bastante desconforto a todos os atletas, já que a temperatura da água estava próxima dos 15ºc. A natação disputou-se no rio Tormes, num percurso de duas voltas, com um total de 1.900m, entre a ponte Juan Carlos e a passagem pedonal que une o município de Santa Marta de Tormes com a cidade de Salamanca. Este segmento teve como principal dificuldade a corrente que se fazia sentir no regresso ao ponto de partida. Após sair da água, mais uma dificuldade, já que os atletas tiveram que percorrer uma ligação de mais de 500m, descalços, até alcançarem as suas bicicletas.

O circuito de bicicleta foi alcançado após mais de 2 km de um troço de ligação, entre o parque de transição e a passagem pela ponte Romana. Este percurso com cerca de 22 km, foi realizado por 4 vezes, totalizando uma ascensão total superior a 1.000m de desnível positivo e que acabou por criar algumas dificuldades aos participantes.

Terminado o segmento de bicicleta, os atletas iniciaram a meia maratona, com partida e chegada ao Paseo del Progreso, junto à ponte romana. O último segmento, que apesar de ter sido disputado nas margens do rio Tormes, acabou por ter como maior dificuldade o muito calor que se fez sentir.

Fernando Feijão e Manuel Rodrigues dominaram os seus escalões, em todos os segmentos, acabando por se sagrar campeões ibéricos de triatlo.

Aceda aqui às classificações dos atletas do Clube.

A prova sob o ponto de vista de Fernando Feijão

Olá bom dia!

A pedido de várias famílias vou escrever algumas linhas sobre a minha prestação na prova de Triatlo Longo de Salamanca onde se disputou o Campeonato Ibérico da modalidade. Vou apenas focar-me nos aspetos positivos, embora me pareça que os negativos também existiram, mas aos quais os atletas são alheios. São eles que sofrem as adversidades, mas vão-se habituando.

1 - Saímos de Lisboa no sábado de manhã, para viagem de aproximadamente 400 km até Salamanca. Fernando Feijão, Hélder Baptista, respetivas esposas e a Inês, que é filha do Hélder. Passámos pela Malveira (saloia!) para apanharmos o Manel Rodrigues e esposa e lá seguimos viagem, com algumas paragens pelo caminho e com almoço em Vilar Formoso. Já nos conhecemos todos muito bem, é sempre muito agradável a companhia de todos, pelo que as coisas por aí só podiam correr bem. Recorde-se que na sua juventude, o nosso colega Hélder trabalhou em Vilar Formoso e pelos relatos que fez durante a viagem, concluímos que esse período apesar de curto (apenas 3 meses!), foi muito agradável e marcou-o profundamente. Há fases da nossa vida que nunca mais se esquecem Hélder...

2 - Quando chegámos a Salamanca e após colocarmos os nossos equipamentos no apartamento, fomos reconhecer o local da prova e cumprir mais algumas tarefas que nestas provas se impõem. Recolhemos os dorsais, toucas e outros elementos de identificação, assistimos ao briefing, demos uma volta pela cidade que ao sábado à noite fervilha de vida e movimento e só recolhemos perto da meia noite, sabendo que às 06h30 tínhamos de sair da cama para o pequeno-almoço reforçado, pois o parque de transição abria às 7 horas e a prova começava às 9 horas.

3 - Partia para esta prova com a noção muito clara que os treinos de bicicleta estavam muito curtos. O tempo chuvoso e a "vontade" dificultaram a preparação neste segmento, cujo percurso tinha 4 voltas, uma altimetria apreciável (1000 de desnível positivo), muitas curvas e retornos o que dificultava ainda mais as coisas. Os outros segmentos, natação e corrida estavam numa fase mais adiantada de preparação. Como alguém já me disse: Não é fácil andar muitos anos ao mais alto nível! E isso é uma verdade! Apesar de apenas estar mais um concorrente inscrito no meu escalão, e inscreveu-se à última hora (e coitado, não chegou ao fim porque caiu!), encaro as coisas sempre com muito rigor, sentido da responsabilidade e respeito pelas distâncias. Durante 5 horas de esforço, muita coisas pode acontecer! Era "apenas" o mais velho a fazer a prova! Já o sabia com antecedência.

4 - Dia da prova: Levantar às 06h30. Tomar pequeno-almoço. Deslocar para o local do evento, para onde fomos de bicicleta e sentimos algum frio. Fazer check-in e primeiro stress: os espanhóis estavam a exigir a identificação, que por acaso estava no regulamento e nós não vimos e o apartamento era um pouco longe. Pedimos para nos deixarem entrar que no final da prova mostraríamos o DNI, mas sem sucesso, pois mandaram-nos chegar para o lado e aguardar. Como o tempo estava a passar sem vermos resolução do problema resolvemos ir buscar os documentos de identificação, pois o stress de estar à espera era superior ao desgaste dos km da deslocação à habitação. Fomos informados que a temperatura da água do rio era de 15,5 graus e verificámos que existia bastante corrente.

5 - A minha prova: Natação dentro das expectativas, alguma corrente mas que ultrapassei sem grandes dificuldades. Fiz 38 minutos e alguns segundos nos 1,900 metros. Na bicicleta, como estava com algum receio, tive algumas cautelas no início, mas fui ganhando confiança e acabei com 2 horas e 54 minutos. O percurso tinha menos de 90 km, mas andei razoavelmente para o nível de preparação. No atletismo, que é o meu ponto forte, senti-me bem, apenas na 3.ª das 4 voltas tive uma pequena quebra "psicológica", mas acabei por fazer 1 hora e 32 minutos, num percurso que supostamente seria de meia maratona, mas que estava curto também. Em termos relativos e isso para mim é que conta mais!!! Fiz uma corrida ao nível dos 40 primeiros, uma geral em 67.º entre os cerca de 200 participantes!!!

Um abraço a todos os que estiveram por fora a torcer por nós e o sincero agradecimento ao Clube Millennium bcp e aos colegas e família presentes.

Do ponto de vista da prova do Helder Baptista

Sabendo-se da minha dificuldade no segmento da natação, ao sair da água em 13.º lugar deveria ter desconfiado que algo não estava bem... a corrente era muito forte, a ponto de me empurrar para a margem logo na primeira volta... Todo o resto da prova (para quem me conhece) foi pura diversão e de desfrute daqueles momentos. À medida que as horas foram passando, a temperatura aumentava o que tornou a prova um pouco mais exigente.

Em resumo, um fim de semana em excelente companhia, com os meus amigos e nossos atletas a sagrarem-se campeões nos respetivos escalões. Por fim deixo um agradecimento especial ao Clube, por nos permitir participar em mais este evento.

Sob o ponto de vista da prova de Manuel Rodrigues

Campeonato Ibérico de Triatlo Média Distância, disputado em Salamanca no dia 17 de junho, onde estive presente com mais 2 atletas do Clube Millennium bcp. 1.900 metros de natação, num rio com muita corrente, onde se descia como se tivéssemos motor e se subia com uma âncora agarrada às pernas. Ainda assim, consegui sair da água em 38.º entre os 160 participantes, com pouco mais de 33´. 84 km de bicicleta com mais de 1.000 metros de desnível positivo, onde me foi possível manter o bom registo e concluir o percurso com uma média um pouco superior a 31 km/h. Por fim uma meia maratona (perto de 20 km) em 1h41m.

Para quem partia com o objetivo de fazer um registo inferior a 5 horas e lutar por um lugar no top 5, acabei por fazer o pleno, já que conclui a prova em 4h59´43"!, deixando o 2.º classificado a 15´ e consegui conquistar o meu primeiro título internacional, ao sagrar-me campeão ibérico no escalão M50-55.

Grande prova do meu colega de equipa Fernando Feijão que também revalidou o título conquistado no ano passado no escalão M60-65, apesar do seu único adversário não ter terminado devida a uma queda com alguma gravidade no segmento de bicicleta.

A participação do Clube contou ainda com a presença do IM Helder Baptista que desta vez não se deu muito bem com os ares de Espanha, mas ainda assim concluiu a prova abaixo das 6 horas em 10.º lugar no escalão M50-55.

Publicado em 04/07/2018